Gravidez: #3 e agora como criar vínculo seguro?

Posted In: Espaço Seguro

gravidez

Neste terceiro episódio Gravidez e agora? do Podcast Espaço Seguro conversamos sobre o vínculo que crias com o teu bebé. O primeiro trimestre é a fase de ouro para construir este vínculo seguro. (Se estás na fase de concepção vê o post anterior aqui)

 

Por mais que digam “nós mulheres já somos programadas para ser mães”, quando ficamos grávidas a questão surge: e agora? As transformações hormonais, físicas e emocionais acontecem e, com a gravidez (especialmente a primeira), parece que nos transformamos numa nova pessoa. Como lidar com o aparecimento desta nova pessoa? As dúvidas começam a aparecer e, por muito acompanhamento que tenhamos, muitas vezes sentimo-nos sozinhas. Tudo acontece dentro de nós e, numa primeira fase, ainda nos parece que nada está a acontecer: não sinto nada dentro de mim!

 

Gravidez e agora? O que está a acontecer? O que é isto de ser mãe? Que mãe quero ser? Tenho coragem de me perguntar se quero mesmo isto? Agora já está! Nem sequer tive esta conversa prévia, nem comigo própria nem com o meu companheiro. E agora que já “angravidámos”, ainda vamos a tempo de conversar e perceber o que queremos? Apesar de já estarmos grávidos, ainda vamos a tempo de criar um vínculo seguro? Ou está tudo perdido? Não, não está tudo perdido.

 

No terceiro episódio do Podcast Espaço Seguro falamos sobre a gravidez e a forma como ainda vamos a tempo de criar um vínculo seguro connosco próprias, com o nosso companheiro e com o nosso bebé. Esta intenção de criar este espaço seguro faz a diferença na forma como nos sentimos e como tudo se desenrola durante a gravidez. Espreita a nossa conversa e vê como: Podcast Espaço Seguro #3: Gravidez e agora?

 

Durante a gravidez estamos a tempo de dialogar

gravidez

E agora? Muitas vezes, sentimos alguma ansiedade e medos e, em vez de investigarmos isso, começamos a explorar questões mais práticas: análise de confirmação da gravidez, quando e como vamos comunicar à família… Esperamos pelas 12 semanas? Não esperamos pelas 12 semanas?

 

Gravidez e agora? Então, o primeiro passo é perceber o que está a acontecer. Às vezes, não ter tido a conversa prévia só vem acrescentar mais ansiedade à fase inicial da gravidez e o primeiro trimestre já tem ansiedade de sobra. Além do mais, misturam-se as dúvidas: Será que a gravidez está mesmo a acontecer? Eu não sinto movimento na barriga, eu não sinto nada… “Parece que não está a acontecer ali nada e já está a acontecer muita coisa”, sublinha Cátia Pereira, fundadora da Vínculos Seguros.

 

E agora? Agora continua a ser momento de falar sobre a gravidez, criar o tal espaço seguro, abrirmo-nos ao diálogo: “O que é que está aqui a acontecer? Qual é a minha intenção? Partilhar isto com o companheiro, falarem sobre o assunto perceberem o que está ali naquele momento a criar ansiedade, quais são os maiores medos”, explica Cátia Pereira e acrescenta: “Falar de forma muito aberta sobre o que está a acontecer e até perceber que, se calhar, o entusiasmo de um não é o entusiasmo do outro”.

 

Gravidez e agora? Agora vamos esmifrar o que se está a passar. Apesar de não terem tido a conversa antes, não significa que agora seja tarde. Ou seja, não adianta ficarem a culpabilizar-se porque não tiveram a conversa antes da gravidez. O importante é intencionar que essa conversa exista e criar espaço para o vínculo seguro agora, durante a gravidez.

 

Vê aqui o Podcast Espaço Seguro #3: Gravidez e agora?

 

Durante a gravidez: “Pais? Mas está a falar de quem?”

Portanto, vamos avançar e falar com o que temos agora: O que significa para nós esta gravidez? O que é isto de ser mãe/pai? O que é que queremos como pais?

 

Na experiência da fundadora da Vínculos Seguros “há muitos casais que até terem a confirmação ou até passarem a barreira das 12 semanas de gravidez ficam na dúvida se já estão a ser pais e, às vezes, quando os trato por pais, regem: Pais? Mas está a falar de quem?”.

 

Para alguns é uma fase de choque, para outros é mais uma necessidade de confirmação: Enquanto eu não vir a barriga a crescer, enquanto eu não sentir movimentos na barriga, ainda não acredito nisto da gravidez! De facto, este choque ou necessidade de confirmação vem acompanhado de grandes transformações hormonais, físicas e emocionais e, uma vez que o ato está consumado antes da conversa sobre o assunto, às vezes o facto de o casal não concordar em algumas coisas transforma-se num grande drama. Respira!

 

Vê aqui o Podcast Espaço Seguro #3: Gravidez e agora?

“Drama?! Sou eu que estou a passar pela gravidez!”

cadeirinha do bebe

E agora? Respira! É comum achar-se que a grávida está a exagerar, mas, do ponto de vista da grávida, não é um exagero, é a realidade. Especialmente numa primeira gravidez, é tudo novidade. Isso, voltamos às hormonas, ás transformações físicas e às emocionais. Neste cenário, qualquer tema que surja pode potenciar algumas inseguranças e, nesta fase, a grávida precisa sentir-se segura.

 

Gravidez e agora? A Cátia Pereira esclarece: “É fundamental a criação de um vínculo seguro comigo mesma. É super importante. Porquê? Porque eu preciso de saber com o que estou a lidar quando o meu companheiro me diz algo e eu sinto que começo a levar aquilo para um lado de “ele não me está a compreender, ele não está a ver… sou eu que estou a passar por isto, ele não está a passar por isto”. É tudo muito mais emocional”.

 

Muitas vezes por trás dessa espécie de vitimização está a necessidade de segurança ou de se sentir conectada ou de se sentir vista. Mas, se conseguirmos detetar essas necessidades, criamos espaço para descobrir formas de satisfazer essas necessidades. Assim, conseguimos perceber que não estamos a criar um drama, estamos a lidar com medos que temos, mas que medos? Vamos descobrir! Medo que a gravidez não progrida, medo que haja uma má formação no feto, medo de não ser uma boa mãe, medo que o meu filho não goste de mim, medo de me tornar como a minha mãe?

 

E agora? Qual é o medo? Que emoção é aquela? Como é que podes criar um vínculo seguro contigo própria a começar já na gravidez? Curiosamente, acontece uma coisa com muitas mães: Durante toda a gravidez, por mais acompanhamento que tenham (médicos, companheiro, família, etc.), sentem-se sozinhas.

 

Vê aqui o Podcast Espaço Seguro #3: Gravidez e agora?

Durante a gravidez: Grupo de suporte sim… Histórias mirabolantes não, obrigada!

Neste sentido, para lidar melhor com esta sensação de solidão, é muito importante encontrar um grupo de suporte que pode ser composto pelo companheiro, pela família, pelos amigos e também por outras grávidas e mães que possam ajudar a compreender o que está a acontecer, partilhar ansiedades, medos e histórias reais. Alerta! Afastar-se das histórias mirabolantes e das experiências de gravidez traumatizantes que falam mais sobre as pessoas e a forma como as pessoas lidam com o que acontece do que propriamente sobre o que acontece. Se a pessoa que conta a história com aspetos que não me servem para nada… Stop!

 

Gravidez e agora? Precisas sentir-te segura, de perceber o que está a acontecer, como se vai desenrolar a gravidez, que impacto vai ter na tua vida. Rodeia-te das pessoas que possam contribuir para este esclarecimento e a tua gravidez é ainda mais tranquila.

 

E agora? Como no primeiro trimestre ainda não há as tais sensações a nível físico, às vezes é um pouco desconfortável. Por vários motivos. Primeiro porque tu própria não percebes bem os sinais, depois por te sentires, por exemplo, mais chorona ou emocionalmente instável, com mais sono e outras sensações que acabam por ter impacto a nível pessoal e profissional e, por sim, por ainda ser segredo. Muitas vezes, neste primeiro trimestre, a grávida ainda não contou a ninguém sobre a gravidez, mas as sensações estão lá e são evidentes. E como ainda ninguém sabe, é preciso continuar a desempenhar o papel de supermulher. Será?

Gravidez: Supermulheres também podem abrandar

Gravidez e agora? Esta devia ser uma altura para abrandarmos o ritmo. O que normalmente não acontece. Queremos continuar a ser supermulheres como profissionais, como mães, em casa… Há que desconstruir esta ideia e focar no que é importante: criar vínculo, colocar a intenção e partilhar com o companheiro.

 

Falem sobre porque querem ser pais e os sonhos que têm. Comecem a criar algumas memórias através de fotografias, escritas, filmes, plantar uma árvore… O que quer que seja para simbolizar o primeiro trimestre de gravidez! Deixar um pouco de lado o lado mais prático e logístico. Durante a gravidez, este lado tem a sua importância… Então e o lado emocional? É aqui que está o vínculo seguro. Desfrutem da gravidez!

 

Vê aqui o Podcast Espaço Seguro #3: Gravidez e agora?

Então, mas o que é isto de entrar em contacto com o lado emocional durante a gravidez? O que são emoções? Para que é que elas servem? Que impacto têm em nós durante a gravidez? Boas perguntas a que vamos responder no Podcast Espaço Seguro #4: Comunicação no casal com bebés.

Se quiseres saber mais sobre vínculo seguro podes ler estes artigos:

 

    Adicionar comentário

    Cadeirinha de bebé: 5 erros comuns na instalação
    Gravidez #4: Comunicação no casal